Pular para o conteúdo
Garoto de cabelo crespo dando risada. Ele está um pouco de lado, com uma das mãos para trás, levantada, e a outra esticada na direção de quem vê a foto. As duas mãos estão com várias cores de tinta. Ele está diante de um muro todo coberto por respingos de tinta de várias cores — azul-escuro, azul-claro, rosa, vermelho, amarelo, laranja... Sobre uma parte do muro há três baldes de tinta, também inteiramente cobertos de pingos e de tinta transbordada. Sobre a imagem está escrito: Relatório 2022 — e o “0” do 2022 é uma lâmpada amarela.
Big numbers

Destaques do ano

Pessoas

63 mil

crianças atendidas no Sabará Hospital Infantil

Hospital

17 mil

procedimentos cirúrgicos

Acessos

5,5 milhões

de acessos aos sites da Fundação

Seguidores

815 mil

seguidores nas redes sociais

Relógio

6 mil

horas de trabalho voluntário

Ticket

93 mil

matrículas na plataforma de educação à distância do Instituto PENSI

Texto

73 projetos

de pesquisa em andamento no Instituto PENSI

Estrela

4 prêmios

conquistados em saúde e inovação

Coração

R$ 10 milhões

investidos em filantropia

Moeda

R$ 4 milhões

doados a projetos sociais

Uma menina de cabelo preto, com rabo-de-cavalo, de costas para a foto. Ela está vestida de camiseta rosa e avental – dá para ver um laço de avental nas duas costas. Ela segura um pincel e está pincelando uma parede onde já há um arco-íris pintado

A Fundação: sua causa, seu modo de atuar

A Fundação José Luiz Egydio Setúbal foi criada em 2010 com a decisão de empenhar seu trabalho em prol de crianças e adolescentes. Fez essa escolha porque cuidar da infância e da adolescência é uma tarefa importante por si mesma, mas também é um meio: um meio de tornar a sociedade melhor.

Conselho Superior

José Luiz Egydio Setúbal (membro nato)

Ana Luiza Pereira Gomes Pinto Navas

Beatriz de Mattos Setúbal

Frederico Octávio Sabatel Bourroul

Gabriel de Mattos Setúbal

Marco Túlio Leite Rodrigues

Maria Alice de Toledo Damasceno Saiki

Maria Alice Setúbal

Olavo Egydio Mutarelli Setúbal

Vicente Furletti Assis

Conselho Fiscal

Oswaldo Arantes Nogueira Neto

Rodolfo Henrique Fischer

Rogério Pecchini

Edson Tayar (suplente)

Ricardo Lemos (suplente)

Setas

Diretoria

Diretor-presidente:
José Luiz Egydio Setúbal

Diretora administrativo-financeira:
Sandra Regina Mutarelli Setúbal

Principais executivos

Pesquisa em Filantropia:
Marcos Paulo de Lucca Silveira

Comunicação:
Luciana Munaretti

Relações Estratégicas:
Márcia Kalvon Woods

Expansão:
Cristiane D'Andrea

Governance Officer:
Roberto Sousa Gonzalez

Compliance Officer:
Glaucianne Vieira de Moraes

Conselho Deliberativo do Sabará Hospital Infantil

José Luiz Egydio Setúbal (presidente)

Daniel Gomes Monteiro Beltrammi

Frederico Octávio Sabatel Bourroul

Gonzalo Vecina Neto

Henri Penchas

Marco Túlio Leite Rodrigues

Maria Dulce Garcez Leme Cardenuto

Vivien Bouzan Gomez Navarro Rosso

Conselho de Assessoramento de Pesquisa do Instituto PENSI

Ana Luiza Pereira Gomes Pinto Navas

Carlos Alberto Malheiros

Dirceu Braz Aparecido Barbano

Fátima Rodrigues Fernandes

Jefferson Piva

Luciana Rodrigues Silva

Paulo Hilário Saldiva

Seta abaixo
Seta abaixo

Sabará Hospital Infantil

Principais executivos

CEO: Felipe Lora

Diretora de Controladoria e Finanças e vice-diretora geral: Carolina Dantas Alves de Oliveira

Diretora clínica: Maria Cecília S. Rocha Lessa

Diretora técnica: Daniella Bomfim

Diretor de Tecnologia da Informação: Klaiton Luis Ferretti Simão

Diretor de Pessoas: Mauricio Alves Silva

Diretor de Operações e Comercial: Ivonei Galvan

Instituto PENSI

Principais executivos

Presidente: Sandra Mutarelli Setúbal

Vice-presidente: José Luiz Egydio Setúbal

Diretora-executiva: Fátima Rodrigues Fernandes

Gerente de Pesquisa: Fernanda Lima

Gerente de Ensino: Fabiula Pimentel

Gerente médica de Educação Continuada: Heloisa Ionemoto

Gerente administrativa: Carla Regina Furlani Pereira

Coordenadora do Voluntariado: Caroline Sanches

Como cuidamos de crianças e adolescentes?

Por meio de uma visão ampla, que encara a saúde não como mera ausência de doenças, mas como garantia de bem-estar físico, social e mental. Para dar conta desse leque amplo, a Fundação funciona como uma holding social, desmembrada em quatro instituições.

Hospital Sabará
Instituto PENSI
Autismo e-realidade
FJLES

Sabará Hospital Infantil: mantido pela FJLES, tem a função de prestar a melhor assistência possível na área de saúde. É reconhecidamente um dos melhores hospitais pediátricos do Brasil: só em 2022 ganhou três prêmios ligados à inovação e recebeu, pela quarta vez, o selo de qualidade e segurança assistencial da Joint Commission International (JCI). Todo o resultado financeiro do hospital é depositado num fundo patrimonial, cuja gestão e supervisão ficam a cargo do Conselho Superior da FJLES. Desse fundo é que saem os recursos para as outras instituições da Fundação.

Instituto PENSI: nossa assistência à saúde é dada com um olhar no futuro: o PENSI faz pesquisas de ponta premiadas e organiza cursos, estágios, residências e eventos de divulgação científica. Sua plataforma de ensino à distância já recebeu mais de 90 mil matrículas. O instituto também executa projetos sociais próprios, definidos pela Fundação.

Autismo e Realidade: uma organização não governamental que virou um programa e, mais ainda, uma bandeira de inclusão. O Autismo e Realidade dissemina informações qualificadas sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), uma condição que afeta cerca de 70 milhões de pessoas no mundo. Produz publicações, campanhas, cursos e pesquisas para combater os estereótipos e apoiar familiares, cuidadores, professores e profissionais da saúde.

FJLES: a Fundação, além de coordenar todas as instituições, dispõe de equipe própria para tocar nossa ação filantrópica, que em 2022 aportou cerca de R$ 10 milhões em projetos diversos. E o leque precisa mesmo ser diverso, porque diversos são os fatores que determinam o bem-estar infantojuvenil. Assim, apenas no período coberto por este relatório lançamos ou impulsionamos projetos sobre combate à violência contra crianças e adolescentes, desnutrição e excesso de peso, poluição atmosférica, desperdício de alimentos, combate à fome e cobertura vacinal. Nosso trabalho filantrópico abrange ainda o apoio à própria filantropia. Mais precisamente: ao fortalecimento de uma cultura de doação no Brasil. Para isso, apoiamos várias organizações que atuam com esse foco e nos debruçamos sobre grandes bases de dados para ampliar o conhecimento sobre a filantropia brasileira.

Qualificação

Formação dos colaboradores (em %)

Fundamental 0,18
Ensino médio 59,01
Graduação 20,76
Pós-graduação/especialização 16,17
Mestrado 1,59
Doutorado 2,30

Obs: inclui Sabará, PENSI e Núcleo de Pesquisa em Filantropia. Não inclui equipe gestora da Fundação nem médicos sem vínculo exclusivo

Cuidando de quem cuida

Garantir uma infância e uma adolescência saudável é uma tarefa ambiciosa. Requer que prestemos atenção, por exemplo, em quem está à frente desse processo. Por isso a Fundação e suas unidades investem no aprimoramento dos cuidadores – das pessoas que têm como profissão cuidar das crianças e dos adolescentes que estão sob nossa responsabilidade.

A educação continuada do Instituto PENSI tem como objetivo manter atualizado o corpo clínico do Sabará. Em 2022, foram ministradas 20.854 horas de treinamento, envolvendo 84 temas e 8.599 participações.

Treinamentos assistenciais, por tipo

63%

Presenciais

16%

Online, ao vivo

12%

Híbrido

9%

Online, gravado

Atenção à diversidade

Em 2022, várias ações no Sabará foram voltadas à diversidade e à inclusão. Em setembro, a campanha “Xô, capacitismo” ajudou a difundir informações relacionadas aos direitos das pessoas com deficiência, abordou o conceito de capacitismo e alertou para a importância de abolir expressões capacitistas do vocabulário. Os cuidadores com deficiência conversaram com o presidente da Fundação, José Luiz Setúbal, sobre como aprimorar a inclusão de pessoas com deficiência na instituição.

Em novembro, a campanha “Se liga, seja antirracista" tratou do conceito de racismo estrutural e recomendou extinguir expressões racistas do cotidiano (como “cor de pele” e “amanhã é dia de branco”).