Mesmo com as mortes aumentando e a crise agravada pelo Covid-19, o ritmo das doações entre brasileiros está caindo. Para sensibilizar e engajar, o Movimento Por Uma Cultura de Doação – apoiado pela Fundação José Luiz Edydio Setúbal – acaba de lançar um documento chamado “Por uma Brasil + Doador, Sempre”.

Ele aponta cinco diretrizes para fazer das contribuições um ato mais frequente e mais consciente dentro da nossa sociedade. As recomendações são fruto de um trabalho coletivo que vem sendo desenvolvido, de forma planejada, desde que o movimento surgiu há sete anos. E agora, mais do que nunca, sua necessidade se faz mais urgente.

As cinco grandes diretrizes são:

  1. Educar para a Cultura de Doação: se queremos cidadãos mais conscientes e doadores, precisamos começar a formá-los desde a infância e juventude; e podemos também educar adultos para o maior engajamento cívico e comunitário.
  2. Promover narrativas engajadoras: em um mundo saturado de informações, precisamos nos destacar com uma narrativa engajadora, atraente e positiva. Pedir doação sem tabus, contar histórias transformadoras e mostrar que doar faz bem a todos, inclusive ao doador.
  3. Criar um ambiente favorável à doação: doar precisar ser fácil, rápido – com ajuda da tecnologia – e sem entraves legais
  4. Fortalecer as organizações da sociedade civil: doadores querem doar para os beneficiários: populações vulneráveis, crianças, idosos, meio ambiente….Para fazer os recursos chegarem aos beneficiários, existe o trabalho das organizações da sociedade civil e elas precisam ser reconhecidas,  valorizadas e apoiadas para operarem cada vez melhor.
  5. Fortalecer o ecossistema promotor da cultura de doação: quanto mais gente trabalhando pela causa da cultura de doação, melhor. Quanto mais organizações, mais diverso será esse ecossistema, mais estruturado, mais rico e chegará mais longe.

“O documento de Diretrizes vem em um momento oportuno, em que a sociedade demonstrou sua solidariedade com as doações expressivas para mitigar os efeitos negativos da pandemia. Esperamos que ele contribua inspirando ações que tornem estas doações recorrentes, contribuindo com o desenvolvimento do nosso país”, afirma Márcia Woods, membro do Comitê, assessora da FJLES e presidente da ABCR.

MAIS INFORMAÇÕES – www.doar.org.br

APOIO – Fundação José Luiz Egydio Setúbal, GIFE, Humanize, Instituto ACP, Instituto Mol, Movimento Bem Maior, Umbigo do Mundo e WINGS.